Translate

RÁDIO VIDA EM CRISO

Ouça a Rádio Vida em Cristo FM 89.1, 24 horas no seu computador. A rádio gospel online que toca as melhores Músicas gospel do Brasil. A rádio que vai toca no seu coração.Confira!

Evangelismo

"EU SOU O BOM PASTOR; O BOM PASTOR DÁ A VIDA PELAS OVELHAS." JOAO 10.11

Google+ Followers

segunda-feira, 18 de abril de 2011

AS SETE DISPENSAÇÃO, PARTE 3º (Períodos Bíblicos)


DISPENSAÇÃO DA INOCENCIA,3º
Esta é a primeira dispensação. Foi precedida pela criação. Gênesis 1.2, diz que a terra estava sem forma e vazia. Não sabemos quantos anos havia entre o versículo 1 y o versículo 3. Isso deixa lugar para muitos argumentos. Alguns estudiosos da Bíblia dizem que haviam milhões de anos , enquanto outros dizem que não havia um tempo definido. Os ossos de animais extintos e as formações estranhas como os poços de petróleo, de sal, e de carvão de pedra da lugar a aceitar a primeira teoria, mas também pode ser que o dilúvio tenha causado tudo isso. Parece que Deus tem segredos profundos nas Escrituras. Deus criou o primeiro homem y a primeira mulher e lhes provou na primeira dispensação.
  1. A primeira dispensação se chama da Inocência porque Adão e Eva eram inocentes, não conhecendo o pecado por experiência.
    1. Circunstancias favoráveis.
      1. Não conheciam o pecado.
      2. Não tinham doenças
      3. Tinham perfeita liberdade
        1. todas espécie de comida
        2. pouco trabalho
        3. nenhum inimigo visível
      4. Tinham vida espiritual diretamente do Espírito de Deus
      5. Tinham domínio sobre toda a criação
      6. Havia um fiel companheiro para cada um.
  2. A prova era que não deviam comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2.16-17)
  3. Fracasso do homem. Desobediência. Gênesis 3.6; I Timoteo 2.13-14.
Surge o Tentador, Satanás. Seu nome não aparece no texto de Gênesis. Satanás oferece a Eva algo que foi terminantemente proibido por Deus.
Em I João 2.16, temos a lição que toda tentação do mundo consiste em três pontos:
      1. Os desejos da carne: O que satisfaz os apetites ou desejos carnais.
      2. Os desejos dos olhos: O que satisfaz à vista.
      3. A vanglória da vida: O que satisfaz o orgulho próprio.
Na tentação da mulher, o tentador empregou todas as formas de tentação.
  1. A QUEDA E A MORTE DO HOMEM
A mulher caiu sob a tentação, levando seu marido, Adão a uma condição lamentável.
Assim , Adão que foi constituído como chefe da criação, se sujeitou a Satanás, passando sua lealdade de Deus ao Diabo. Naquele momento, ele, Adão entregou o mundo nas mãos do maligno. Desde então o diabo se constituiu como, príncipe deste mundo (João 14.30); deus deste século ( II Coríntios 4.4).
Os resultados da caída já eram conhecidos pelo homem. A "morte" foi o pior castigo que veio em conseqüência da desobediência do homem.
O castigo pode ser dividido em três diferentes manifestações:
      1. MORTE FÍSICA
      2. MORTE ESPIRITUAL
      3. MORTE ETERNA
  1. O JUIZO DE DEUS. Gênesis 3.14-19; 3.22,23.
a. Expulso do jardim do Éden
b. Sobre a serpente – arrastando--se sobre o pó.
c. Sobre a mulher – dor ao conceber filhos e submissão ao seu marido.
  1. Sobre a criação natural – espinhos, cardos,
  2. frio e de calor.
  1. PROVISAO DIVINA . Gênesis 3.15; I Coríntios 1.30.
Esta dispensação termina com um saldo negativo por parte do homem, e
com um desejo de Deus em reatar sua relação com o homem. Isso se pode ver na promessa de Gênesis 3.15.
Ao terminar essa dispensação, Deus faz seu segundo pacto com o homem. O Pacto Adâmico, feito com Adão depois da desobediência (Gen. 3.14-19).
DISPENSAÇÃO DA CONCIÊNCIA
  1. A segunda dispensação se chama da "Consciência" porque a humanidade tinha que se conduzir segundo as normas ditadas por sua consciência.
    1. Começa com Gênesis 3.23.
Por sua experiência na dispensação da Inocência o homem aprendeu a diferença entre o bem e o mal, que a desobediência a Deus era mal e que a obediência era boa.
Agora, com sua consciência feita à semelhança de Deus ele foi deixado em liberdade para obedece-lo.
    1. Terminou com o Diluvio.
    2. Duração: 1656 anos
  1. CIRCUNSTANCIAS FAVORAVEIS..
    1. O homem tinha a promessa da redenção de Deus. ( A semente da mulher o livraria, juntamente com a criação da maldição).
    2. Adão mostrou sua fé na promessa ao colocar o nome de eva" na mulher. Eva significa "vida" ou " a mãe de vida ". Eva foi a mãe da vida espiritual por sua semente Jesus.
    3. Adão adorava a Deus e oferecia holocaustos por seu pecado. Certamente Deus lhe ensinou isso quando matou os animais para sua primeira roupa.
Com estas circunstancias favoráveis o principio da dispensação da Consciência foi tão perfeita como a da Inocência.
  1. A PROVA. Gênesis 4.7. como a dispensação da Inocência e as outras, esta também tinha que ter sua prova.}
    1. Sua lei foi sua consciência.
Pelo pecado na primeira dispensação o homem perdeu a "Consciência de Deus" e ganhou a "consciência de si mesmo". Isso quer dizer que em vez da conhecer e ver os atos, estado e caráter de Deus, que ele começou a prestar conta a seus próprios atos, estado e caráter, quer fossem justos ou injustos.
    1. O homem tinha que obedecer as determinações de sua consciência.
      1. Sua consciência estava em bom estado e sendo assim indicava corretamente o bom e o mal, o correto e o incorreto.
      2. Podemos distinguir nove estados ou classes de consciência na Bíblia.
          1. Consciência cauterizada (I Timoteo 4.2)
          2. Consciência purgada (Hebreus 9.9,14; 10.2
          3. Consciência manchada (Tito 1.15)
          4. Consciência débil ou fraca (I Corintios 8.7)
          5. Consciência Pura (Atos 24.l0).
          6. Consciência Manifestante (Romanos 2,15; 9.1; 2 Corintios1.
          7. Consciência Boa (Hebreus 13.18.)
          8. Consciência Convicta (a boa saúde) (Gênesis 3.10; 4.13; 42.22; Mateus 27.3).
VERDADES DISPENSACIONAIS.
Destas, a consciência Convicta e a Consciência Cauterizada são as mais importantes.
        1. A Consciência Convicta é a que está em boa saúde e esta mostrando corretamente o mal e o bom, ou seja, o correto e o incorreto.
        2. A Consciência Cauterizada e a que está muito doente e diz ao homem que todas as coisas são boas, orientando-o de forma incorreta. Perdeu sua capacidade de distinguir o bom do mal porque seu dono havia desobedecido durante tanto tempo que se enfermou.
IV. O PRIMEIRO FILHO DE ADAO Y EVA
Com o nascimento de seu primeiro filho, é provável que o casal esperasse o cumprimento da promessa feita por Deus, que mandaria "um" para ferir a cabeça da serpente. Isso se pode ver no nome dado ao seu filho "CAIM": "alcancei um varão". Porém com o tempo eles viram que esse não era o filho da promessa.
V.O FRACASSO.
B. Caím fracassou , primeiro por nãao trazer uma oferta de sangue al alter de Deus (Gênesis 4.3-7).
    1. Caín fracassou, em segundo lugar, por matar a seu irmão, Abel (v.8). Certamente Adão havia ensinado a seus filhos sobre a necessidade de trazer e oferecer sacrifícios de sangue para a remissão de seus pecados. Um aceitou, o outro recusou. Abel sabia que sua oferta foi aceita por Deus, pois o fogo veio sobre re a oferta e a consumiu. Porém nenhum fogo havia descido sobre a oferta (sem sangue) de Caím.
  1. O CASTIGO.
    1. Caím e os homens semelhantes a ele perderam a vida eterna.
    2. Sua raça se terminou com o dilúvio.
  2. A REDENCAO.
A redenção prevista por Deus foi a arca de Noé. Enoque escapou por ser arrebatado por Deus.
DISPENSAÇÃO DO GOVERNO HUMANO
A dispensação da consciência terminou em fracasso porque a humanidade não obedeceu às determinações de sua consciência. Por desobedece-la durante um longo período sua consciência se enfermou a tal ponto que não podia distinguir o bem do mal. Vimos que a raça humana, em virtude de suA maldade e desobediência, foi destruída pelo Dilúvio. Depois do Dilúvio Deus deu uma nova oportunidade à humanidade, através de Noé e sua família.
  1. A terceira dispensação se chama " GOVERNO HUMANO" porque Noé foi posto como guia de um povo ou governo de sua casa.
    1. Começou no fim do Dilúvio
    2. Terminou com o chamado de Abraão.
    3. Durou 427 anos.
  2. CIRCUNSTANCIAS FAVORAVEIS
    1. Noé, o guía, tinha 601 anos al sair da arca. Era uma pessoa com experiência natural e espiritual.
    2. Tinha a promessa de Deus que não destruiria a humanidade outra vez por agua. Gênesis 9.13-15. O arco-íris foi o sinal.
    3. Receberam um novo paco de Deus. Gênesis 9.9.
    4. Tinham o costume de adorar ao Deus verdadeiro. Gênesis 8.20-21.
    5. Tinha a completa vontade e liberdade de Deus. Gênesis 9.1-7. Isso incluía:
        1. Permissão para formar um governo humano e governar-se a si mesmo.
        2. Permissão para comer carne.
(Adão não tinha permissão para fazê-lo. Ainda que se crer que alguns pecadores no seu tempo o fizeram).
III. A PROVA.
    1. A vontade da humanidade foi provada por ter que obedecer a lei feita por seu próprio governo.
      1. Não tinham que obedecer sua consciência doente como anteriormente.
      2. Deus lhes deus três conselhos como base de seu governo.
          1. Contra assassinar (Gênesis 9.5)
          2. Contra comer sangue. Gênesis 9.4. ( Deus nunca mudou essa determinação – Atos l5.29. O sangue sempre foi precioso aos olhos de Deus).
          3. Como se devia castigar um assassino. Gênesis 9.6. Isso não foi aplicado no caso de Caím na outra dispensação.
  1. O FRACASSO.
    1. A embriaguez de Noé. (Gênesis 9.20-21)
    2. Cão olhando o corpo nu de seu pai.
        1. Parece que Cão o fez propositalmente pois saiu para dizer a seus irmãos. Eles conheciam o que era correto e cobriram o corpo de Noé.
        2. Ainda que não se especifica bem, parece que o fato de contemplar a nudez do pai, consistia em um pecado grave.
    3. A construção da torre de Babel. Gênesis 10.8-10.
        1. O líder do governo era Nimrod
        2. foi construída com o propósito de rebelar-se contra Deus
        3. Era um sinal do orgulho e rebelião, além da adoração de um líder chamado Ninrod.
  2. O CASTIGO.
    1. Dispersão do povo ao ter sua língua confundida, dando origem a vários idiomas, tornando necessário separar-se em pequenos grupos que falassem o mesmo idioma.
    2. Cão e seus descendentes foram destinados a ser serventes. Gênesis 11.5-9; 9.25.
Noé viveu 950 anos.
DISPENSAÇÃO DA PROMESSA
Ao contemplar o fim da dispensação do Governo Humano, se chega a pensar que não ficou ninguém que fosse considerado fiel em cumprir e obedecer as provas de Deus.
Elias clamou a Deus que tirara sua vida porque céu que só ele havia ficado fiel o Senhor, porém Deus lhe disse que havia 7.000 fiéis em Israel que não haviam sobrado seus joelhos a Baal. Assim também foi no tempo de Ninrod, pelo menos, uma família, a do pai de Abraão vivia fiel a Deus porque Abraão esta bem perto de Deus para ouvir sua voz.
  1. A quarta dispensação se chama, da "Promessa" porque nela Abraão escuta uma promessa de Deus e se esforça para reclamar o cumprimento dessa promessa.
    1. Começou no Chamado de Abraão ( Gênesis 12.1).
    2. Terminou no Êxodo de Israel do Egito.
    3. Durou 430 anos.
II. CIRCUNSTANCIAS FAVORAVEIS.
    1. Abraão recebeu um novo pacto de Deus. Gênesis 12.1-3.
      1. Benção incondicional prometida para sempre.
      2. Deus escolheu uma família, em vez de muita gente.
      3. O pacto foi feito com ele e sua família.
    2. Abraão foi guiado a um novo lugar.
      1. A separação do mundo sempre facilita uma vida de vitória. Gênesis 12.4
    3. Abraão adorava a Deus.
      1. Sabemos isso porque ele construiu um altar. Gênesis 12.7.
    4. Abraão tinha a promessa de ser o canal pelo qual viria o Salvador de toda humanidade. Gênesis 12.3. Por isso é que essa dispensação se chama da "Promessa". Seu nome foi mudado de Abram para Abraão.
    5. A primeira revelação da vontade de Deus nesta dispensação pode ser dividia em sete declarações de seu propósito.
      1. Fazer de Arão uma grande nação – Gen. 12.2
      2. Abençoar sua vida. Gen.13.2
      3. Engrandecer sua nome . Gen. 12.2
      4. Fazer dele uma benção – Gen. 12.2
      5. Abençoar aos que o abençoasse – Gen. 12.3
      6. Amaldiçoar os que o amaldiçoasse – Gen. 12.3
      7. Abençoar nele todas as famílias da terra- Gen. 12.3.
III.A PROVA. As pessoas.
    1. tinha que deixar sua terra.
    2. Tinha que estar separado.
    3. Tinha que ficar no lugar que Deus escolheria.
    4. Tinha que depositar sua fé no Salvador prometido que viria.
  1. O FRACASSO.
    1. Abraão partiu da terra da preferência de Deus para ir à terra de seu próprio desejo.
        1. Foi para Egito
        2. Partiu de Canaã para escapar de uma sêca em vez de confiar em Deus.
        3. Escapou do castigo divino por voltar a Canaã. Gênesis 20.10-13.
    2. Isaque fez a mesma coisa – escapou do juízo divino por voltar.
    3. Jacó também fez o mesmo, porém não voltou. Havia um castigo.
Cada filho era menos espiritual que seu pai. Todos confiaram na promessa, especialmente Abraão. Gálatas 3.3; Hebreus 11.8-9.
V. O CASTIGO OU JUIZO.
  1. Foram escravos no Egito por 400 anos porque Jacó fracassou.
  2. Sobre o Egito foram enviadas as pragas por maltratarem os escravos.
  1. A REDENCAO MOSTRADA.
A. Êxodo 12-14. Todas as jornadas no deserto mostram redenção.
DISPENSAÇÃO DA LEI
Quando Deus viu que a nação escolhida não pode vencer por uma fé numa coisa prometida porém que não era visível, Ele lhe deu outra oportunidade com uma religião visível.
A quinta dispensação se chama da "Lei" porque Deus deu leis através de Moisés. Eram completas. Êxodo 13.1; Lucas 16.16.
  1. Começou no monte Sinai
  2. Termina com a morte de Cristo na Cruz.
  3. Durou 17ll anos.
  1. CIRCUNSTANCIAS FAVORAVEIS.
    1. A lembrança dos milagres no Egito.
    2. A proteção e providência no deserto por 40 anos
    3. Com a entrega da Lei se conheceu a completa vontade de Deus.
        1. O Tabernáculo foi construído.
        2. Foi dado uma religião visível.
  2. A PROVA
    1. Tinha que obedecer. Êxodo 19.5-8.
    2. Deus lhes deu três classe de leis:
        1. Os mandamentos . Êxodo 20-1-15. Expressam a vontade divina.
        2. Os juízos. Êxodo 21.1-13,33. Expressam as relações do homem com o homem.
        3. As ordenanças. Êxodo 24.12; 312.18 ensinam sobre a adoração e a vida religiosa.
Ao receber as leis de Deus, os Israelitas se comprometeram em cumprir com tudo que Deus havia determinado. Eles selaram um pacto novo ao oferecer sacrifícios de sangue de animais. Isto significava que pagariam com a vida se desobedecessem. ( Ezequiel 18.4).
É importante observar que nesta dispensação a prova estava apenas sobre a nação judaica, os outros povos não eram julgados pelas normas da lei mosaica. Essa divisão foi feita pelo próprio Deus quando dirigiu sua palavra a Israel e à casa de Jacó. Êxodo 19.3.
Assim que pela aliança "incondicional" feito com Abraão a posição de Israel diante de Deus permaneceu firme; porém pela aliança "condicional", feita através de Moisés, Israel poderia perder as bênçãos de Deus se fosse desobediente.
  1. O FRACASSO.
Ha uma lista de fracassos. Mencionamos alguns:
        1. Murmuração no deserto.
        2. Adoração de ídolos. (começou com o bezerro de ouro)
        3. Muitas classes de pecados
          1. Morais –
          2. Espirituais –
        4. finalmente recusa e crucificação de Cristo.
  1. JUIZO OU CASTIGO ( HAVIAM DUAS CLASSES)
        1. Sobre todo o mundo na cruz de Cristo. João 12.27; Atos 2.36; Colossenses 2.14-17.
        2. Sobre a nação Israel.
          1. O cativeiro permanente das 10 tribos.
          2. O cativeiro de 70 anos das tribos de Judá e Benjamim.
          3. A destruição da cidade de Jerusalém por recusar a Cristo. Mateus 24.1-2.
          4. Disperso por todo o mundo em virtude de sua recusa de Cristo – Lucas 21.24. etc.
A Lei não foi dada com a finalidade de transformá-los em homens bons,
mas para tirar qualquer duvida sobre o pecado, a fim de mostrar o nível do pecado dos homens, para descobrir o pecador e trazê-los a juízo sem desculpas. Além disso, pela Lei, o homem podia recorrer aos sacrifícios, e pela fé, refugiar-se no Salvador prometido. Pois a Lei foi feita para os injustos. (I Timoteo 1.9.10).
No fim da dispensação da Lei, os sacerdotes e dirigentes judeus estavam totalmente metidos no legalismo e ritualismo, tornando-se cegos e insensíveis às profecias do redentor prometido; e recusando ao seu Rei quando este veio ao mundo.
DISPENSAÇÃO DA GRAÇA
A dispensação da Lei fracassou porque o homem foi muito débil para guardar todas as leis justas de Deus.
A Palavra diz que era possível obedecer todas as leis, pois Cristo fez o que nenhum outro conseguiu fazer. Mesmo que fosse possível, parece que Deus não esperava que alguém as obedecesse, exceto Seu Filho porque em Gálatas 3.24 diz que a lei tinha como propósito, convencer ou ensinar ao homem sua necessidade de um Salvador como Jesus Cristo. Ao começar essa dispensação da Graça, podemos dizer que, " A lei foi boa, porém a Graça é melhor".
I. A sexta dispensação se chama da . " GRAÇA" porque foi o principio do
" favor imerecido de Deus ao homem".
  1. Começou na Cruz do Calvário.
  2. Terminará com a vinda de Cristo em glória. O anticristo será destruído e terá inicio o reino de Cristo.
  3. Duração: Neste ano (2004) a Dispensação da Graça tem mais ou menos 1974 anos.
II. CIRCUNSTNCIAS FAVORAVEIS.
  1. O próprio Cristo começou esta dispensação. Ele foi a voz de Deus ao homem (Hebreus 1.1-3).
  2. Ele logrou a obra da redenção que Deus lhe havia encarregado (João 17.1-5)
  3. Ele destruiu todas as obras do Diabo ao fazer obras maiores sobre o poder do diabo.
  4. Ele trouxe a liberdade pelo Evangelho
  5. Ele estabeleceu uma igreja e a revestiu com poder para continuar a obra que Ele começou. Mateus 8.17; l8.l8; João 14.16; Atos 1.1-2; 2.1-4.
  6. Com uma igreja vitoriosa, todo o mundo pode ouvir, atreves dela, e obter ou ao menos buscar o evangelho.Assim que Deus tornou mais fácil, para esta geração, o fazer sua vontade. Porém o homem, como nas dispensações anteriores está fracassando ao não aproveitar a gloriosa oportunidade de ser redimido, nascido de novo, recreado em Cristo, onde ele pode ter a vitória completa sobre a carne, o mundo , e o diabo, e onde ele pode ter a retidão que a lei requer, cumpridos nele por meio do Espírito Santo ( Romanos 8.1-13; João 3.5; Tito 3.5).
III. A PROVA
A prova desta dispensação é a mesma da dispensação da Promessa.
    1. Separação do mundo pecaminoso.
    2. Uma fé em Jesus Cristo que opera obediência a Ele (Romanos 1.5; 16.26; Mateus 38.19; Marcos 16.15-18; Atos 1.8; Hebreus. 11.6).
A Salvação é para todos, porem ele abençoará unicamente aos que crêem e recebam a Cristo como um Salvador pessoas. (Marcos 16.15-17; João 1.12; Atos. 2.38-39; Romanos 10.10).
IV. O PROPOSISTO DESTA DISPENSACAO
O propósito desta dispensação não é a conversão do todo o mundo como alguns crêen (porque nem todos crerão) porém o " chamar" de fora ou tomar deles a um povo para Seu nome ( Atos 15.13-18). A palavra grega " eklesia" traduzida
" igreja" realmente quer dizer " assembléia" ou " congregação" do povo chamado de fora. A maioria do povo ou massas, não será salva durante esta dispensação . Apocalipses 9.20-21; 16.9,11. Porque a humanidade entrará numa apostasia e em pecado no fim do século, como nunca se viu antes na historia do mundo. ( II Tessalonicenses 2.l0-12; Mateus 24.15-26; Apocalipses 13.l-8, l0).
O meio de alcançar este propósito será a pregação do evangelho, " que é poder de Deus para salvação de todo aquele que crer..."
Na dispensação da Inocência, o homem tinha que obedecer o mandamento de Deus; na da Consciência ele tinha que obedecer as determinações de sua própria consciência, o oferecer sacrifícios com fé no Salvador vindouro; na da Promessa ele tinha que aceitar as promessas de Deus por fé e também oferecer sacrifícios com a fé colocada no Salvador vindouro; y na da Lei ele tinha que obedecer a lei que incluía oferecer sacrifícios com fé no Salvador vindouro; porém na dispensação da Graça tem que crer e receber ao próprio Salvador que ja veio, apenas isso.
V. O FRACASSO
  1. O primeiro fracasso foi a rejeição de Jesus pelos Judeus. Tiveram uma gloriosa oportunidade depois do Calvário, mas também a recusaram (Atos 3.19-26).
  2. A apostasia da igreja visível ( II Timóteo 3.1-8).
  1. O JUIZO OU CASTIGO.
O fim desta dispensação será o juízo de Deus sobre todos os incrédulos e nações durante a Grande Tribulação e o reino do anticristo.
A segunda vinda de Cristo à terra com Seus santos concluirá o período da Grande Tribulação e dará começo à dispensação do Reino ou do Milenial.
A Dispensação da Graça se caracteriza por duas coisas importantes: A manifestação do Espírito Santo, e o inicio do ministério da IGREJA.
A IGREJA
I . A IGREJA É UM MISTERIO.
Cristo falou dela a seus discípulos Mat.16.13-19; porém o mistério foi primeiro revelado ao Apóstolo Paulo. Efésios 3.3-6,9; Romanos 16.25,26.
II. A IGREJA É UM ORGANISMO (tem vida).
Não é apenas uma organização ou denominação. É o Corpo de Cristo (Efésios 5.23-32).
l. Cristo é a cabeça da Igreja. Efésios 1.22,23; Colossenses 1.18.
2. A igreja está comparada com uma casa ( I Timóteo 3.15)
3. A igreja esta comparada com um templo (Efésios 2.21-22)
4.A Igreja esta comparada com um corpo. ( I Coríntios 12.27-31)
5. O Espírito Santo faz com que todos os membros sejam um só corpo
Efésios 4.4-6; I Coríntios 12.27; Romanos 12.5.
III.A IGREJA É A NOIVA DE CRISTO.
l. Atualmente ela está comprometida com Cristo como uma virgem ( II Corintios 11.2).
2.A igreja está aperfeiçoando para Ele. Efésios 4.11-13.
NOTA: Há duas noivas nas Escrituras: 1) No Velho Testamento Israel é a esposa infiel de Jeová. Isaías 54.5. Por sua infidelidade (ídolos) foi colocado de lado, porém ao arrepender-se será restaurada ao favor divino. Ezequiel 16; Oseías 2.1-23. 2) No Novo Testamento a Igreja é a Noiva de Cristo, sempre fiel, ela morará na Jerusalém celestial depois do milênio, enquanto que Israel morará na terra renovada.
IV. A ORIGEM DA IGREJA
Nos pensamentos de Deus a Igreja foi escolhida desde os tempos eternos. Efésios 1.4,5. Quando Cristo olhou para a cruz, Ele revelou a seus discípulos o propósito de fundar a Igreja. Mateus 16.13-20. O ensino da igreja Católica romana que a igreja foi fundada sobre Pedro e que os papas são seus sucessores não se encontra na Bíblia.
A Igreja nasceu no dia de Pentecostal quando o Espírito Santo veio e deu vida à Igreja.
V. MISSAO DA IGREJA.
A Igreja não é um "clube social", nem uma logia, nem uma associação de reforma, nem um lugar de venda de privilégios pecaminosos nesta vida ou na vida futura, mas:
    1. Uma luz que brilha - Mateus 5.13-16
    2. Sal para preservar – Mateus 5-13.
    3. Um evangelista para pregar – Marcos 16.15-20
    4. Um exemplo da vida de Cristo – I Pedro 2.9.
    5. Um embaixador para representar ao reino do céu- II Corintios 5.20.
A verdadeira Igreja está composta de santos ( nascidos de novo) de todas as denominações. Mas sempre é bom ressaltar que em todas as denominações deve haver membros que são membros da verdadeira Igreja, e que em todas as denominações deve haver membros que não são da verdadeira Igreja. Isso quer dizer que, o fato de ser congregado não significa ter o nome no livro da vida. É necessário ser convertidos, nascido de novo. Não existe denominação com privilegio especial.
VI. RAPTO OU ARREBATAMENTO DA IGREJA.
O Rapto ou Arrebatamento da Igreja é a grande e gloriosa experiência vindoura da verdadeira Igreja. I Tessalonicenses 4.13-17; I Corintios 15.51-57. a Igreja será tirada ou arrebatada quando Cristo se manifeste nas nuvens e subirá para reunir-se com Ele.
Quando será o arrebatamento da Igreja?
A Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação. Existe alguns que crêem que a Igreja passará pela Tribulação. Contra isso, temos alguns pontos a considerar.
    1. Nas Escrituras não se menciona a Igreja em conexão com a Grande Tribulação.
    2. em Apocalipse não se menciona a palavra " Igreja" depois do capítulo 4. Se crer que os 24 anciãos do capítulo 4 são representantes da igreja.
    3. Muitos confundem a expressão da promessa a Filadélfia em Apoc. 3.10.
    4. Os cálices de Apoc. 16 são juízos de Deus ao mundo, porem a promessa ao crente em João 5.24 é que ele não virá a juízo.
I Tes. 5.8-9; Rom. 5.9; 2 Tes. 1.9-10.
    1. A Grande Tribulação, apesar de que afetará a todo o mundo, diz
respeito especialmente a Israel ( Jer. 3.7; Dan. 12.1).
    1. A promessa à Igreja sobre a ocasião em que se reunirá com o
    2. Senhor é sem data. I Tes. 1.10; Fil. 3.20-21. Os sinais nas Escrituras se referem à segunda vinda do Senhor em sua revelação ao mundo.
VII. TRIBUNAL DE CRISTO
Entre os diversos juízos das Escrituras, encontramos um dos mais importantes que e o juízo do Tribunal de Cristo, onde se julga e se recompensa a Igreja. Não devemos confundir o Tribunal de Cristo com o Juízo Final. No Tribunal de Cristo, que se seguirá depois do arrebatamento da Igreja, só os salvos comparecerão. Será para prestar contas de nossa mordomia (Rom. 14.10; II Cor. 5.10; Ef. 6.8).
  1. AS BODAS DO CORDEIRO.
Isto acontecerá nas regiões celestiais. Apoc 12.5-12; 19.4-9; 21.2-11. Será a grande festa esperada pela Igreja de Cristo, será quando se selará o casamento do Noivo (Cristo) com a Noiva ( a Igreja), e estarão juntos por toda a eternidade.
Enquanto que a Igreja está nos ares com o Senhor Jesus, aqui na terra começara o período mais terrível da historia humana: A GRANDE TRIBULACAO.
A GRANDE TRUBULACAO.
  1. QUANTO TEMPO DURARÁ?
A Grande Tribulação será um período de sete anos que se seguirá à Dispensação da Graça. Serão os sete anos mais terríveis da historia do mundo, quando Deus castigará ao mundo. No capitulo 9 de seu livro, Daniel nos fala de 70 semanas de anos (490 anos). 69 semanas de anos (483 anos) já se cumpriram com a primeira vinda de Cristo, deixando uma semana de anos (7 anos) para ser cumprido. Estes 7 anos corresponde ao período da Grande Tribulação. De Apocalipse 6.1 até 19.21 será o período da G. Tribulação.
Haverá uma divisão de dois períodos: A primeira parte de 3 anos e meio será menos drástica. A segunda parte inclui Apoc. 12-19. Na primeira parte o Anticristo protegerá aos judeus, porém quando eles o recusarem começará a grande perseguição. Alguns textos que se referem a estas duas partes: Mat. 24.21-22; Apoc. 11.1-2; Daniel 12.1; Apoc. 12.14-17; 13.5-7; Jer. 30.4-11.
II. O PROPOSITO DA GRANDE TRIBULACAO
O propósito divino da Grande Tribulação é de purificar a Israel e trazê-los outra vez a um lugar onde deus possa cumprir seu convenio eterno, feito com seus pais.
II.CARACTER DA GRANDE TRIBULACAO
Haverá toda classe de maldade em grau superlativo. Porque será dessa maldade que Deus lançará sua ira e castigo sobre os gentios. Apo. 6.1-19,21.
  1. O ANTICRISTO
No inicio da Grande Tribulação se manifestará um grande homem com poderes extraordinários. O mundo o receberá para salvá-lo das muitas dificuldades que existirão nesse período. (principalmente problemas civis e econômicos a nível universal). Será recebido como um cristo ou salvador e muitos crerão que ele é o Cristo. Com o arrebatamento da Igreja e sem a forte atuação do Espírito Santo, ele poderá atuar com toda liberdade através do poder do Diabo. 2 Tes.2-3-12; Mat. 5-13.
No inicio da grande Tribulação haverá um pacto entre o Anticristo e os judeus, porém depois de 3 anos e meio romperá seu pacto com eles e os perseguirá ferozmente.
  1. A SEGUNDA VINDA DE CRISTO
A segunda vinda do Senhor Jesus, será depois da Grande Tribulação e antes do inicio do Milênio.
Na ultima parte da Grande Tribulação o Anticristo juntará todos os exércitos do mundo para lutar contra os judeus e apoderar-se de Jerusalém. Assim se dará o que a Bíblia chama de " Batalha do Armagedom" Sal. 2.1-9; 21.8-12; 46.1-4; 76.7,8; 110.1-7; Isaías 2.19-21; 31.4,5; 34.2,3; 41.11,12; 49.25; 59.l7-19; 66.15,16; Jer. 25.30-33; 30.16; Zac. 12.7-9; 14.3,4, 13-15; Miq. 7.16,17; Luc. 19.27.
No momento final, quando o Anticristo começar a comemorar a vitória sobre os judeus, Cristo aparecerá nos céus contado sobre um cavalo branco, acompanhado por todos seus santos que formarão parte do seu grande exército. Cristo destruirá o exercito do Anticristo, e lançará o anticristo e o Falso Profeta no lago de fogo para sempre. Os judeus olharão a Cristo e o reconhecerão como o Jesus crucificado, seu Messias e Libertador. Logo depois Satanás será aprisionado por mil anos, no mesmo lugar onde já estarão o Anticristo e o Falso Profeta. Depois cristo julgará as nações vivas, para seguidamente dar inicio al período milenial. Zac. 14.1-18; Ez. 39; II Tes. 2.8; Apoc. 16.13-16; 19.11-21; Is. 66.5,6; Zac. 13.
DISPENSAÇÃO DO REINO OU MILENIAL
Esta é a sétima e ultima Dispensação, é a que precede o novo céu e a nova terra. Neste período de 1000 anos Cristo porá Seus inimigos sob seus pés. Ef. 1.10, 21; I cor. 15.24-28; Ap. 20.1-6.
I. Se chamará do reino divino porque Cristo reinará..
  1. Começa com a vinda de Cristo em glória.
  2. Terminará com o Juizo Final, ou Grande Trono Branco.
  3. Durará 1.000 anos.
II. CIRCUNSTANCIAS FAVORAVEIS.
  1. Cristo reinará com ajuda dos santos. Is.4.2-3; 9.6-7; 11.1-9; Jer. 23.5-8; Ap. 11.15.
  2. Satanás será amarrado no abismo. Ap. 20.1-13.
  3. O governo será perfeito em Justiça. Não será monarquia, nem democracia, nem autocracia, mas uma teocracia. Os santos de todos os tempos terão prte no reino, Oséias 3.5; Jer. 30.9; Ez. 34.10.
  4. A terra estará livre da maldição que atualmente pesa sobre ela.
  5. Haverá um só reino que cobrirá toda a terra. Haverá uma unica capital, Jerusalém.Pecadores estarão no reino , mas estarão obrigados a obedecer as leis do reino. Is. 2.2-5; Sal. 2.7-9; Miq. 4.3; I Cor. 15.25-28; ap. 20.1-10; Zac. 14.16-21.
  6. Haverá um novo templo. Cristo será seu construtor. Zac. 6.9-15. O templo que os judeus construíram e que foi profanado pelo Anticristo será destruído na batalha do Armagedom. 2 Tes. 2; Mat. 24.15; Ap. 11.1-2.
  1. A PROVA.
A prova da dispensação será:
    1. Recepção de Cristo como rei da vida natural e na alma para a vida espiritual e eterna.
    2. Obediência às leis divinas do governo divino. O diabo será solto no fim da dispensação para provar a humanidade Ap. 20.7. A humanidade na dispensação Milênio terá que ser provada, como nas outras dispensações anteriores.
  1. FRACASSOS.
Como nos períodos anteriores esta dispensação terminará em fracasso. Quando Satanás for solto, muita gente que aparentemente obedecia as leis divinas, se unirá ao Diabo para o ultimo esforço para vencer a Cristo.
  1. O JUIZO ( ou castigo de Deus).
O juízo será que eles ( os rebeldes ) serão destruídos no corpo e irão ao Grande Trono Branco para serem lançados no lago de fogo para sempre. O Diabo também será lançado no lago de fogo. Ap. 20-10-15.
  1. A SEGUNDA RESSURREICAO
A segunda ressurreição acontecerá no fim do período milenial e antes do Juízo Final. Ai estarão todos os mortos desde Adão até o fim do milênio, que morreram sem salvação. Ap. 20.4-6; 11-15; Jo. 5.28-29; Atos 24.15; Daniel 12.2. Todos estes ressuscitados comparecerão diante do Grande Trono Branco para receberem a condenação final.
  1. NOVO CEU E NOVA TERRA.
Depois do Juízo diante do Grande Trono Branco e da destruição do primeiro céu e d primeira terra, João escreve em Apocalipses 21.1 sobre essa grande realidade da última mudança que Deus fará no universo.
  1. A NOVA JERUSALÉM.
Em Apoc. 21.2, João escreve sobre a nova Jerusalém. E na visão do apostolo essa cidade aparentemente já existia durante o período prévio ao milênio. Não se sabe onde estava situada, mas a visão diz que desceu do céu de Deus.
  1. A ETERNIDADE.
Com o fim do milênio e depois do Grande Trono }Branco, começará uma era sem fim, a ETERNIDADE. Ap. 21.2-22-1. Será um período especial:
    1. O Povo de Deus será o Templo vivo e verdadeiro
    2. Desaparecerá o tempo cronológico, para viver num eterno presente.
    3. Nunca mais se interromperá a comunhão com Deus.
    4. Não haverá mar, mas um rio cristalino que sai do trono, ou seja, a vida fluindo diretamente de Deus.
    5. Com o novo céu não será necessário nem sol nem estrelas, nem lua, ja que Deus encherá tudo e o iluminará.
Sabemos que esse tema é muito extenso e profundo, e o mesmo será ampliado durante a exposição do Estudo Bíblico. Esta Apostilha é apenas um resumo do tema apresentado.

BIBLIOGRAFIA
1- ALLISON Haroldo B. – A Doutrina das Ultimas Coisas
Imprensa Batista Regular – 1981 – Brasil
2- CLARK Adam – Comentário de la Santa Bíblia – tomo II
Casa Nazarena de Publicaciones – 1974.
3- CONCEIÇÃO Adaylton de Almeida – Introducción a la Escatologia Bíblica.
Ediciciones Manantiales – Buenos Aires – 1992.
4- CHAFER Lewis Sperry – Major Bible Themes
Dallas T. Seminary – 1926.
5- Jamieson, Fauset y Brown – Comentario Exegetico y Explicativo de la Bíblia.
CBP – Texas 1965.


 AUTOR:
Missionário: Adaylton de Almeida Conceição
 
DEUS  ABENÇOE
GRAÇA E PAZ
Postar um comentário

Agradecimento





FEED